Osteotomia -Tibial e Femorais

OSTEOTOMIA TIBIAIS E FEMORAIS

CONCEITO BÁSICO

Nos doentes mais jovens ja com sinais de desgaste precoce de um dos compartimentos, interno ou externo, é possível corrigir o alinhamento da perna de forma ao peso ser transmitido mais pela zona externa ou interna da articulação. Resumindo se esta desgastado por dentro, o objectivo será alinhar a perna para a carga ser feita predominantemente do lado de fora, que está ainda em bom estado, e vice versa. Como se de um pneumático de um automóvel se tratasse.

INTERVENÇÃO

Este é um gesto cirúrgico que realizo mais frequentemente na tíbia (o desvio em VARO “que eu apelido de “pernas a jogador da bola” ) é o padrão mais frequente. Realizo a osteotomia com o grande objectivo de retardar a progressão da artrose do compartimento afectado, conseguindo assim protelar em 10 a 20 anos a necessidade de uma Prótese do joelho.

Em teoria num joelho saudável o vector resultante das cargas exercidas no membro inferior, será um eixo próximo de uma linha recta – 0º, distribuindo o peso do seu corpo de forma uniforme pelo compartimento interno e externo do joelho, evitando desta forma um desgaste precoce da articulação

A osteotomia permite realinhar o eixo da perna, reposicionando o vector de carga, para o compartimento saudável do joelho. A carga do peso do corpo passa a ser feita do compartimento então saudável e coloca para descansar o compartimento patológico. Uma osteotomia é nível joelho indiretamente por redistribuindo as restrições de peso do corpo.

A intervenção consiste em uma seção (osteotomia) da tíbia com vista a mudança de eixo.

 

 

COMO É O PÓS OPERATÓRIO?

São previstos 2 a 3 dias de internamento. A  sólida fixação garantida durante a cirurgia, permite uma mobilização imediata do joelho, de forma recuperar as amplitudes articulares logo após a cirurgia. A marcha é retomada logo no dia seguinte mas com o apoio obrigatório de 2 canadianas durante 6 a 8 semanas. 3 meses após a cirurgia o paciente pode levar uma vida normal . Ao 6º mês para retomar gradualmente toda a sua atividade desportiva.

RESULTADO.

Depois desta intervenção, não há nenhum limite real para as atividades física, as mesmas são realizadas de acordo com a tolerância do joelho. O resultado desta indicação permite obter um joelho com boa função entre 10 e 15 anos. Após este tempo, a realização de uma prótese total do joelho pode ser necessária.